terça-feira, 31 de março de 2009

33ª semana


Esta semana o bebé pesa pouco mais de 1,8 kg e mede um pouco mais de 46,5 cm da cabeça ao calcanhar. Graças a este recente aumento de peso, está agora a perder aquela aparência enrugada de “alienígena”. A maioria dos ossos do bebé estão agora a ficar duros, mas o crânio ainda é bastante maleável, com elementos separados por espaços. Esta estrutura flexível permite comprimir a cabeça do bebé de modo a passar pelo estreito canal de parto.

A pressão sobre a cabeça durante o parto é tão intensa que, em muitos bebés, o formato da cabeça é cónico à nascença. É um efeito totalmente inofensivo, normal e temporário. A cabeça do bebé rapidamente assume uma forma mais arredondada, embora as placas do crânio só se unam completamente quando tiver cerca de 9 a 18 meses de idade.

Dia de consulta de rotina

Mais uma vez fomos à consulta deste mês! Levei a eco das 32 semanas e tudo normal. A médica deu-me mais uma série de análises, sanguineas para fazer e ,claro, tenho que ir em jejum!Tirar sangue e esperar uma hora após beber um liquido docissimo e novamente outra pica! Que bom!

Depois no dia 20 de Abril tenho a "última" consulta com a minha médica antes de ela encaminhar-me para o Hospital de Santa Maria, onde decidi que vai ser onde vou ter a minha menina!

Agora é esperar até à próxima semana, dia de exames!

Os quilos da gravidez


Para crescer e desenvolver-se o feto necessita de energia, cuja única fonte é o adequado aporte de calorias por parte da sua mãe.

Para crescer e desenvolver-se o feto necessita de energia, cuja única fonte é o adequado aporte de calorias por parte da sua mãe. Convém aceitar, então, que durante a gravidez o peso vai aumentar. No entanto, é preciso que este aumento não exceda os valores considerados "normais", para evitar que se transforme em gordura acumulada e excesso de peso.

Porque se aumenta de peso

O aumento de peso deve-se aos produtos da gestação – feto, líquido amniótico e placenta –, somados ao aumento dos tecidos da mãe: maior volume de sangue e de líquido extra-celular, crescimento do útero e dos seios, e depósitos maternos de energia.

Quantos quilos se deve aumentar

Não é fácil determinar qual é o aumento "ideal", dado que depende – em grande parte – da contextura física e das características particulares de cada mulher. Com efeito, tanto o peso no início da gravidez como os antecedentes maternos a respeito do seu peso, costumam ter uma grande influência sobre o comportamento posterior. Não obstante, em linhas gerais, estima-se que não deve superar os 12 a 14 quilos.

Naturalmente, estes quilos não se ganham de forma igual ao longo dos nove meses, vão-se apenas somando progressivamente (ver quadro). Assim, há momentos onde a variação é considerável e outros em que é quase nula. No início da gestação, o aumento costuma ser muito ligeiro: não mais de 1 ou 2 quilos, porque apesar do facto de no primeiro trimestre se produzir a organogénese (formação dos órgãos do bebé), o feto é ainda muito pequeno.

Além disso, para muitas mulheres este período vem acompanhado de náuseas e vómitos, de modo que até podem chegar a perder alguns quilos. Pelo contrário, há mamãs que – apesar dos incómodos típicos – quando descobrem que estão grávidas começam a comer mais, algumas de forma desmedida, e qualquer "desejo" é uma boa desculpa para comer à-vontade. O pior é que a maioria das vezes ingerem alimentos de escasso valor nutritivo, mas de alto conteúdo calórico, o que se traduz em quilos desnecessários. É ao longo do segundo e terceiro trimestres que o aumento de peso se torna verdadeiramente significativo.

Nem mais, nem menos

Os obstetras costumam ser muito rigorosos na hora das grávidas subirem para a balança, mas na realidade não há evidências de que "martirizar" as mulheres constitua uma atitude razoável. Apesar do facto da literatura médica antiga fazer um excessivo "finca-pé" neste tema, a associação de excesso de peso/gravidez tem escassos efeitos negativos sobre a saúde do bebé, e não costuma ocasionar dificuldades no trabalho de parto.

No entanto, o controlo do peso nas consultas, pode favorecer uma adequada conduta alimentar. Porque a verdade é que, quando uma grávida com excesso de peso se olha ao espelho não pode evitar pensar que – redonda por redonda – mais vale sem fome, que com fome. E assim começa o ciclo vicioso de alimentação inadequada e sobrepeso. No outro extremo, quando o aumento de peso é escasso, o crescimento fetal pode ver-se prejudicado, com o consequente risco de dar à luz um bebé de baixo peso.

E não é só isso: um aporte calórico insuficiente poderia afectar também o crescimento e a função da placenta. Por isso, a futura mamã deve alimentar- -se bem, escolhendo os alimentos adequados, em quantidades moderadas, e privilegiando a variedade e a qualidade. Desta forma, não só beneficiará a sua figura, mas para além disso – e muito importante – evitará possíveis e indesejáveis complicações.

Quantas calorias mais?

A dieta de uma pessoa adulta saudável deve aportar aproximadamente 2000 calorias. E se bem que durante a gravidez seja necessário reforçá-las, o aumento não tem de exceder as 300 calorias extra, por dia. Depois do parto e durante a amamentação, pelo contrário, o aumento ideal deveria rondar as 750 calorias diárias.

Mas além da quantidade, na hora de considerar a provisão calórica, deve ter em conta a sua qualidade. Porque não é o mesmo consumir 300 calorias de batatas fritas ou bebidas com cola, que não têm qualquer valor nutricional (calorias vazias), do que ingeri-las através de frutas, verduras, ou de um copo de leite desnatado. Na gravidez e fora dela, a pirâmide nutricional é o melhor guia para desenhar uma dieta equilibrada.

E se quer cuidar da imagem, o mais conveniente é esco-lher alimentos desnatados ou reduzidos em calorias, que providenciem os nutrientes indispensáveis, sem atentar contra a balança. Uma cenoura, uma maçã ou um iogurte desnatado são mais saudáveis que um pedaço de torta ou um gelado. Se se inclina pelos primeiros, seguramente conseguirá controlar o seu peso. Em todo o caso, saiba que um nutricionista também pode ajudá-la.

Proibido fazer dieta

Se bem que a recomendação consista em não aumentar de peso de forma exagerada, isso não significa que se deva fazer regime. A gravidez não é o melhor momento para fazer uma dieta. Tenha em conta que uma alimentação excessivamente restringida pode privar o bebé dos nutrientes – proteínas, hidratos de carbono e gorduras – necessários para o seu crescimento e desenvolvimento.

Por outro lado, as mulheres que fazem regime, costumam reduzir drasticamente o consumo de hidratos de carbono, e muitas vezes nem sequer realizam as quatro refeições diárias. Ambas as situações provocam uma maior produção de corpos cetónicos (substâncias tóxicas derivadas da combustão de gorduras), que – pela sua toxicidade – podem afectar a saúde do bebé, especialmente o seu desenvolvimento.

E depois do parto, o quê?

Se o aumento foi razoável (entre 12 e 14 quilos), a mulher poderá baixar de peso de forma rápida e relativamente fácil. Não esqueçamos que do total de quilos aumentados, depois do parto perdem-se entre 7 e 8 correspondentes ao bebé, à placenta e ao líquido amniótico; e nas semanas seguintes, a descida continua devido à involução do útero – que voltará a pesar 50 gramas – e à eliminação do excesso de água. Uma vez mais, vale a pena recordar que a amamentação ajuda a baixar de peso de maneira ainda mais rápida. E se dois ou três meses depois ficou com um par de quilos a mais, é uma boa desculpa para reiniciar a actividade física habitual num ginásio.

Como se distribui o total do peso aumentado

3.000 gramas correspondem ao peso do bebé.
700 gramas da placenta.
1.000 gramas do útero.
1.000 gramas de líquido amniótico.
800 gramas a mais nos seios.
1.500 gramas devido ao aumento do volume de sangue.
3.500 gramas pela reserva de água.
Como aumenta o peso ao longo da gestação

Entre as semanas 0 e 10 65 gramas por semana

Entre as semanas 10 e 20 335 gramas por semana

Entre as semanas 20 e 30 450 gramas por semana

Entre as semanas 30 e 40 335 gramas por semana

Fonte:Mãe Ideal

sexta-feira, 27 de março de 2009

Hoje foi dia de ecografias das 32 semanas

Hoje fomos pela última vez fazer a eco. Desta vez foi com outro médico. Tudo está bem com a nossa menina, Ana Luísa, para nossa felicidade!
Foi muito giro ver novamente a nossa bebé, o médico explicava tudo que estavamos a ver, e engraçado deu para ver a mexer os olhos!


Aqui ficam os registos da eco:

- Avalição Biométrica:
. diâmetro biparietal: 77mm
. perímetro cefálico: 278 mm
. perimetro abdominal: 276 mm
. comprimento fémur: 63 mm
. percentil: 50

. sexo fetal: feminino
. apresentação fetal: cefálico
. placenta: anterior não prévia
. líquido amniótico: normal
. exame morfológico: normal nesta fase gravidez

A minha menina pesa 1846 gramas.



Comentários: Gravidez em evolução ecograficamente de 32 semanas e 3 dias com estimativa de peso no P50.
Feto com boa vitalidade.
Perfil biofísico 8/8.
Fluxometria da artéria umbilical normal.

Eu, com 32 semanas de gravidez


terça-feira, 24 de março de 2009

O nome da minha menina é:

Depois de muito pesquisar chegámos a esta conclusão Ana Luísa :


Ana – Do hebraico “hanna”, que significa graciosa. Consciente das responsabilidades, pode à primeira vista parecer um pouco fria. Porém, o seu coração pode ser quente, mas de uma forma selectiva. Prefere a solidão aos laços medíocres, a verdade às noções enganadoras. Ana é uma pessoa com um espírito analítico e moralizador, mas quando encontra uma companheiro à sua altura defende o seu direito à felicidade com tenacidade. Trata-se de uma pessoa capaz, procura as coisas que duram e que tendem a melhorar com o tempo, a paz interior, a sabedoria e a serenidade.


Luísa - Luís/a - -De origem germânica, significa "combatente gloriosa" e traduz uma menina criativa e inteligente, com grande capacidade para enfrentar desafios, indica uma “Guerreira famosa, célebre, muito conhecida”.



Obrigada a todos que votaram e em especial no nome Luísa, um nome que muito gosto. Obrigada!

O nome do bebé



Para muitos casais, decidir o nome do bebé é uma das partes mais agradáveis da gravidez.


Para outros, é um tortuoso processo de negociação. De qualquer modo, é uma decisão importante que será provavelmente para toda a vida (a menos que o pequenote decida mudar de nome entretanto). Veja em seguida alguns factores importantes a considerar aquando da decisão do nome:

Som e compatibilidade. O modo como o nome do bebé soa quando dito em voz alta é um dos factores mais essenciais a considerar. É melodioso? Tem um som áspero? Combina bem com o apelido? Uma coisa a evitar: escolher um nome próprio que termine exactamente com o mesmo som do início do apelido.

Um nome singular. Um nome fora do comum tem a vantagem de destacar o seu filho em relação aos outros. Por outro lado, um nome que nunca ninguém tenha ouvido e que poucos consigam pronunciar pode gerar o tipo de atenção que o seu filho preferirá evitar. As variações ortográficas poderão ajudar a tornar um nome diferente dos outros, mas escolher um nome com diversas ortografias pode gerar confusão na vida do seu filho durante muitos anos.

Familiares e amigos. Muitos pais optam por dar aos filhos o nome de um avô, outro familiar ou amigo próximo. Não quer uma profusão de Josés lá em casa? Procure tesouros escondidos na sua árvore genealógica. E se tem receio de ferir susceptibilidades, pense num primeiro nome de um lado da família e num segundo nome do outro lado.

Linhagem e herança. A herança familiar do seu filho é uma parte essencial da sua personalidade e poderá querer que o seu nome reflicta isso mesmo. Leia livros de história sobre o país de origem da sua família e tente encontrar possibilidades adequadas.

Significado. Não é provável que alguém trate a sua filha Ingrid de modo diferente por o nome significar “filha de heróis”, mas a derivação do nome do bebé é um elemento que poderá envolver na sua escolha.

Iniciais e alcunhas. As pessoas em geral, e as crianças em particular, podem ser bastante cruéis quando se trata de dar alcunhas, por isso tente prever eventuais embaraços.

SUGESTÃO

Uma das melhores formas de testar o nome do bebé é gritá-lo bem alto, de preferência num parque infantil. Se se sentir desconfortável a dizer o nome nesse contexto, poderá não ser a melhor escolha.

Fonte: Sapo familia

Uma forma de dormir bem

Nas últimas semanas de grevidez a forma como a grávida se deita é geralmente a forma como acorda, uma vez que o sono já não é tão fácil como anteriorment. Não consegue deitar-se de barriga, é dificil voltar-se e demora algum tempo a levantar-se.


A posição de dormir

Todas as pessoas têm uma posição preferida para dormir que as ajuda a conseguir mais depressa o descanso:
- se prefere dormir de costas, apoie-as com muitas almofadas e coloque uma debaixo dos joelhos; caso contrário o oxigénio e a circulação sanguineas ficam restringidas à barriga;
- as grávidas que preferem dormir de lado ficam mais confotáveis se colocarem uma almofada entre os joelhos. Se sentir uma pressaõ na barriga ou tiver dificuldades em respirar volte-se ao contrário;
- a forma como se levanta assume agora especial importância. Coloque-se primeiro de lado e suba o corpo com a juda dos dois braços. Permaneça sentada durante alguns momentos antes de se levantar. Com esta técnica apoia as costas e poupa as articulações já sobrecarregadas. De preferência habitue-se desde já a levantar-se sempre desta forma.

Soluções leves para dormir

Se tiver dificuldades em adormecer à noite uma dose adicional de oxigénio pode ser a ajuda necessária. Dispa-se antes de ir dormir, mas calce uma meias quentes e coloque-se frente a uma janela aberta. Respire fundo algumas vezes. Passe as palmas das mãos por todo o corpo de cima a baixo, como se estivesse a lavar-se como uma luva, de seguida vá logo para a cama. Um banho quente de pés também pode ser útil: coloque os pés em água morna e adicione progressivamente água quente até notar que a temperatura aumentou, não ficando, no entanto, demasiado quente. Passados 10 minutos seque os pés e vá dormir.

A amamentação sem dúvidas!


A amamentação torna-se mais simples se estiver bem informada e se esclarecer eventuais dúvidas ainda durante a gravidez. Vale a pena saber quais as diferentes posições para amamentar. Chegada a altura em que o bebé já anseia pelo peito, o seu corpo também se encontra pronto: com o parto os níveis hormonais alteram-se e a produção de leite é estimulada. A sucção do bebé faz fluir o leite. Ao mesmo tempo a amamentação regular gera a produção de prolactina, uma hormona que mantém o fluxo de leite materno.

Vantagens da amamentação

A amamentação não é só prática pelo facto de a alimentação do seu bebé estar sempre "embalada de fresco". Tem também um efeito positivo sobre o desenvolvimento do seu filho e sobre o seu próprio corpo.
- o leite materno contém todos os nutrientes importantes na dose certa;
- os agentes de defesa contidos no leite protegem ã criança de muitas doenças infecciosas;
- as crianças amamentadas durante 4 a 6 meses ganham protecção importante contra as alergias;
- com a amamentação o útero volta mais rapidamente à sua forma inicial.

A primeira mamada

A primeira mamada ocorre logo a seguir ao parto. O primeiro leite (colostro) contém muitos agentes de defesa que contribuem para a protecção imunitária do bebé. A "verdadeira" produção de leite só se dá a cinco dias após o parto. Nada de preocupações até essa altura nada falta ao seu bebé, uma vez que ele traz uma "bagagem" que o ajuda nos primeiros dias. Também nada de preocupações se o bebé perderpeso. Assim que começa a ser amamentado o peso volta a aumentar.

Amamentar sem stresse

O facto de poder amamentar sem problemas depende de estar calma e descontraída. Coloque-se numa posição possível e prepare algo de beber, uma vez que a amamentaçãoprovoca sede. Agora pegue no bebé: a cabeça deve estar apoiada na dobra do seu braço e o rosto do bebé voltado para o seio, com a barriguinha bem aconchegada contra a sua. Ao mamare o bebé deverá sugar tanto o mamilo como a auréola e não apenas o mamilo; caso contrário este poderá ficar rapidamente ferido e causar dor

A minha barriga de 29 semanas

32ª semana


Por esta altura, o bebé pesa cerca de 1,8 kg e tem pouco mais de 43 centímetros. As unhas das mãos e dos pés já cresceram completamente. Alguns bebés já têm uma boa cabeleira; outros têm apenas uma penugem.
O bebé ocupa agora muito espaço no interior do útero mas o espaço confinado não lhe limita o nível de actividade. Poderá ter ouvido dizer que é normal os bebés abrandarem o ritmo com o avançar da gravidez, mas isso não é verdade. Se notar alguma redução dos movimentos do bebé, contacte o seu médico.

No dia 17 de Março fez 31ª semana!

Um pouco atrasada mas aqui fica registado!

O bebé consegue virar a cabeça de um lado para o outro.
O bebé mede cerca de 40 centímetros. Pesa pouco mais de 1,350 kg e vai ter agora outro salto de crescimento. Já consegue virar a cabeça de um lado para o outro.
Evidentemente, ainda não compreende que este movimento significa “não” mas ficará surpreendida com a rapidez com que passará a compreender este e outros gestos quando nascer. Com a camada adiposa que tem estado a acumular nas últimas semanas, os braços e as pernas estão agora bem cheinhos.

E comigo:
até à data do parto a pele da barriga pode ficar continuamente tensa e dura. O motivo dessa "dureza" diz respeito às contracções do útero, que assim se faz notar.

Estamos novamente de volta!

Regressámos depois de mais uma semana fora desta cidade! Desta vez fomos para terras de Castelo Branco.

sábado, 14 de março de 2009

Concerto da Teresa Salgueiro

Ontem fomos ao Centro Cultural Olga Cadaval assitir ao concerto da Teresa Salgueiro. Foi muito giro. Ela apresentou o nov cd que vai sair no final deste mês! Posso dizer que o meu bébé durante o espetaculo quase não parou de mexer ou mesmo de dar pontapés! Espero que estes tenham sido de contentamento, pois eu estou sempre a ouvir a música dela!
No fim do concerto pedilhe um autográfo, trocamos algumas palavritas, ela perguntou-me sobre a minha gravidez, muito simpática. Ao seu lado estava Jorge Varrecoso Gonçalves.









E breve irei "anunciar" o nome da minha bébé!Está decidido!

O enxoval do bébé

O enxoval principal inclui tudo aquilo que é importante nas suas primeiras semanas e meses, desde fraldas a gorros. Existem muitas coisas que facilitam o trabalho de cuidar do recém-nascido.

O enxoval do bébé

De preferência compre logotudo em dois tamanhos, pois nas primeiras semanas não terá tempo nem vontade de ir às compras.
Vai precisar de:
- 10 bodies, 5 do tamanho 50 e outros 5 do tamanho 54;
- 6 casaquinhos de algodão, 3 de tamanho 50 e 3 de 54;
- 6 babygrows, tamanho 50 e 54;
- 2 gorros de algodão fino;
- 1 gorro mais quente para sair;
- 2 casaquinhos para sair, um de tamanho 50 e outro 54;
- algumas botinhas de lã, meias de lã ou sapatinhos de pele para sair (dependendo da estação do ano)

Centro de assistência do bébé

Na cómoda onde muda a fralda ao seu bébé deve ter à mão os utensilios mais importantes. Também se torna mais prático ter uma base para mudar as fralas na banheira porque está mais perto da água. Coisas de que vai precisar:

- cómoda para mudar fraldas com colchão lávavel ou base de mudança de fraldas para a banheira;
- radiador por cima da cómoda que deve ligar quando troca a fralda ou cuida do seu bébé, inclusivé no verão;
- sacos de fraldas que fechem bem;
- toalhitas suaves para limpar o rabinho do bébé;
- creme para as assaduras;
- pomada para massajar a barriga do bébé no caso de ter flatulência;
- banheira para bébé;
- termómetro para a água;
- 5 luvas de banho;
- 2 toalhas de banho com capuz;
- 3 toalhas;
- escova macia para pentear,
- tesoura de ponras arredondadas para cortar as unhas;
- óleo para complemento do banho ou para lavar o bébé (aplicar com uma luva de banho humedecida como substituto do sabonete).

A caminha do bébé

Nos primeiros tempos após do nascimento é mais prático o bébé dormir dos pais. Se ele tiver fome, não precisa de deslocar e o bébé não ficar a chorar muito tempo até poder dar-lhe de mamar. Além disso a mãe consegue aperceber-se logo se algo não estiver bem.
Necesita do seguinte:
- cama de grades;
- colchão;
- 2 lençois impermeáveis;
- 2 capas de algodão para o colchão;
- saco-cama (nos primeiros 18 meses é recomendável pôr o bébé num saco para bébé, para evitar o risco de sufocar);
- cobertor macio para cama de bébé;
- intercomunicador caso esteja afastada dos paisou na sala.

Quando o bébé tem fome

Mesmo que esteja a amamentar precisa de alguns biberões de leite seu ou de chá quando está muito calor. Por isso deve ter o seguinte:
- 4 biberões de plástico com tetina para o leite;
- 2 biberões de plástico comtetina para o chá;
- escovas para lavar os biberões e as tetinas;
- esterilizador;
- 6 babetes para dar biberão e mais tarde as papas;
- bomba de peito para tirar o leite;
- 6 fraldas de musselina como protector quando o bébé bolsa.

Em casa como na barriga da mãe

Se cobrir o berço comorganza vermelha fina, a luz perpassa em tons rosa. Esse efeito lembra ao bébé p tempo que passou na barriga da mãe; assim ele sente-se aconchegado na sua "nova" caminha.

terça-feira, 10 de março de 2009

Os medos mais comuns perante o parto


Veja em seguida alguns dos medos mais comuns relativamente ao trabalho de parto e como lidar com eles.

• Não vou conseguir aguentar a dor.
Uma em cada cinco mulheres grávidas diz que este é o seu principal medo no terceiro trimestre, segundo um inquérito do BabyCenter. Embora seja verdade que o trabalho de parto e a expulsão são dolorosos para a maioria das mulheres, existem analgésicos eficazes e não deverá sentir-se culpada se pedir que lhe sejam administrados. A grande maioria das mulheres grávidas usa algum tipo de analgésico durante o trabalho de parto. Se achar que os métodos de controlo da respiração e outras técnicas de relaxamento não serão suficientes, não pense duas vezes em pedir ajuda ao médico.

• Vou precisar de uma episiotomia ou vou rasgar.

Uma episiotomia é um corte cirúrgico na zona muscular entre a vagina e o ânus, efectuado mesmo antes da expulsão, a fim de aumentar a abertura vaginal. Algumas mulheres rasgam espontaneamente esta zona e esses rasgões podem ser desde praticamente indetectáveis até muito grandes (cuja reparação requer uma grande quantidade de pontos). Em tempos eram a norma, mas as episiotomias estão a ser menos utilizadas. Segundo um estudo publicado na revista Obstetrics and Gynecology, as taxas de episiotomia num hospital de Filadélfia diminuíram de quase 70% de todos os nascimentos em 1983 para 19% de todos os nascimentos em 2000. Fale com o seu médico sobre a frequência e em que condições opta pela episiotomia e de que forma é possível evitar ter de fazê-la ou rasgar.

• Vou esvaziar os intestinos durante a expulsão.
Num inquérito recente do BabyCenter, 70% das mulheres disseram que receavam ter esvaziado os intestinos na mesa de parto, 39% afirmaram que o tinham feito efectivamente e, entre estas, apenas 22% se sentiam envergonhadas. Embora possa neste momento ter dificuldade em acreditar, se os seus intestinos se esvaziarem efectivamente durante a expulsão, a verdade é que ninguém lho dará a entender. As enfermeiras e os médicos limpam tudo possivelmente antes de sequer dar conta de que aconteceu. Se estiver mesmo muito preocupada com esta questão, quando chegar ao hospital peça um clister para limpar os intestinos. Outro pensamento reconfortante: o princípio do trabalho de parto estimula muitas vezes a diarreia. Se este for um dos seus sintomas, o mais provável é que o seu sistema fique todo limpo.

• Parto prematuro.
Cerca de 13% dos bebés dos Estados Unidos nascem prematuramente – antes das 37 semanas. Para reduzir a possibilidade de parto prematuro, cuide-se bem: alimente-se correctamente, descanse muito, vá regularmente às consultas, controle o seu stress e cuide da sua higiene íntima e dentária. Poderá gostar de saber que, mesmo que nascesse esta semana, o seu bebé teria óptimas probabilidades de sobrevivência e, a cada dia que passa na sua gravidez, aumentam as suas hipóteses de ter um bebé saudável.

• Vão encher-me de intervenções médicas desnecessárias.
A melhor forma de lidar com este receio é uma conversa franca com o seu médico. Se confiar no seu médico, pode ficar descansada e saber que ele fará o melhor possível por si e pelo bebé no dia do parto. Se tiver conhecimento dos seus desejos e preferências (pense em elaborar um plano de nascimento), estará em condições de dar o seu melhor no sentido de os satisfazer

• Ter de fazer uma cesariana
Dado que uma em cada cinco primeiras gravidezes acaba por necessitar de cesariana para o nascimento do bebé, é um receio compreensível. A boa notícia é que se trata de uma cirurgia muito segura e que a maioria das mulheres recupera completamente no espaço de algumas semanas. Caso ocorra uma situação de emergência durante o trabalho de parto e o bebé entre em sofrimento, trata-se de uma operação vital.

• Não chegar a tempo ao hospital.
São muito pouco frequentes os partos de emergência em casa, especialmente numa primeira gravidez. Mas se não consegue livrar-se deste medo, o melhor que tem a fazer é preparar-se para essa possibilidade.

Fonte: Conteúdos da responsabilidade de Johnson & Johnson.

30ª semana


O bebé tem agora quase 40 centímetros e pesa pouco mais de 1,350 kg. Está rodeado de cerca de 700 mililitros de líquido amniótico, mas esse volume irá diminuir à medida que o bebé cresce e preenche o útero. O bebé consegue agora distinguir entre a luminosidade e a escuridão e consegue até acompanhar uma fonte de luz.


Depois de nascer, manterá os olhos fechados uma grande parte do dia. Quando os abrir, irá reagir a alterações de luz, mas não conseguirá ver nada a mais de alguns centímetros de distância da cara. Como vai querer pegá-lo ao colo o mais possível, essa será a posição perfeita para que o bebé a veja com olhos de ver.

terça-feira, 3 de março de 2009

O desenvolvimento no útero

Os investigadores chegaram a uma conclusão: se falar com o seu bébé ainda no ventre, se lhe ler ums histórias, cantar para ele ou ouvirem música em conjunto, não só está a promover o seu desenvolvimento corporal e emocional como também a sua inteligência.

O bébé também ouve

Os sentidos do feto desenvolvem-se ainda numa fase primitiva, por isso o seu bébé começa cedo a ouvir e a sentir. Alguns cientistas são da opinião que o desenvolvimento de um bébé se dá ainda no ventre materna. Existem mesmos estudos que comprovam que os bébés, depois de nascerem, receonhecem a música que a mãe ouviu várias vezes durante a gravidez. E reconhecem as vozes da mãe e do pai.Tudo isto aponta para que haja um processo de aprendizagem que o bébé já percorreu . Se quiser aproveitar estas capacidades do seu filho para o seu posterior desenvolvimento positivo, deve começar logo de ínicio a falar muito com ele, a ler-lhe umas histórias e a ouvirem músicas em conjunto, tratando-se já como membro da família. Pensa-se que esta relação facilita também o parto e não só: o bébé está para nascer sente a sua dedicação, o que contribui para o seu desenvolvimento corporal, emocional e intelectual.

"Contacto" com o mundo exterior

Entre a 26ª e a 28ª semana de gravidez, os bébé já se apercebem dos barulhos do mundo exterior. No que se refere à música as suas preferências estão claramente definidas:Vivaldi e Mozart acalmam o feto, enquanto Beethoven, Brahm ou o estilo hard rock o desassossegam. Mas não só os sons do exterior que chegam aos ouvidos do seu bébé. Também o que se passa dentro do corpo da mãe faz mais barulho do que pensa: os sons do estômago e dos intestinos têm cerca de 85 decibéís e a circulação do sangue, pelo menos, 55 decibéis.

O iodo torna os bébés inteligentes?

As mulheres que toma iodo suficiente na gravidez têm filhos mais inteligentes. É este
o resultado de um estudo realizado com crianças em idade escolar, recorrendo a testes de inteligência. Na realidade, as crianças cujas mães não tiveram falta de iodo durante a gravidez, obtiveram melhores resultados do que aquelas cujas mães tomaram muito pouco iodo. O motivo: o iodo é importante para a produção da tiróide, que influenciam o desenvolvimento intelectual e físico. Uma vez que a tiróide do feto produz hormonas a partir da 12ª semana de gravidez, o pequeno ser já precisa neste momento de iodo suficiente. O fornecimento de iodod deve ser assegurado pela mãe. Por esta razão as grávidas e as mulheres que estão a amamentar necessitam de mais de 50 microgramas de iodo por dia além do que era habitual, ou seja, um total de 250 microgramas diários. Já que esta quantidade nem sempre pode ser satisfeita apenas com a alimentação, o seu médico irá receitar, caso seja necessário ou apenas por precaução, comprimidos de iodo que pode encontrar nas fármacias.

"Efeitos secundários" da gravidez

Infelizmente durante a gravidez não são criadas apenas as bases da inteligência do seu filho. Durante este periodo surgem também as bases de futuras doenças como a tensão alta ou o excesso de peso. Por exemplo, se comer muito durante as 40 semanas, é possivel que o seu filho venha a ter tendência para engordar. O stresse o excesso de carga psicológica têm um efeito negativosobre o desenvolvimento do bébé, não devendo ser subestimado. Os cientistas afirmam que as mães que passaram muitas situações de tensão durante a gravidez dão à luz filhos ansiosos e medrosos. Pelo contrário os filhos de mães cuja gravidez decorreu calmamente são mais espertos e atentos.

29ª semana

O bébé já segura no cordão umbilical. Nas últimas doze semanas antes do parto o bébé recebe através da placenta, importantes agentes de defesa que irão protegê-lo de diversas doença~s infecciosas.

Ela cresce agora a toda a velocidade. Esta semana, pesa aproximadamente mais 250 gramas do que na semana passada (com um total de cerca de 1,150 kg) e tem pouco mais de 38 centímetros de comprimento da cabeça ao calcanhar.
Os músculos e os pulmões continuam a amadurecer e a cabeça começa a ficar maior, criando espaço para o cérebro em franca expansão – e que está bem ocupado a desenvolver biliões de neurónios. Com este acelerado crescimento, não é de surpreender que as necessidades nutricionais do bebé atinjam o máximo este trimestre.


Para se manter a si e ao bebé bem alimentados, vai necessitar de muitas proteínas, vitamina C, ácido fólico, ferro e cálcio. (Todos os dias, cerca de 200 miligramas de cálcio são depositados no esqueleto do bebé, que se encontra em fase de endurecimento.)

Consulta de rotina

Ontem fomos à consulta da minha médica mostrar os resultados dos exames feitos. Tudo normal.

Olá! Estivemos ausentes ...


Bem, estivemos a passar uma semanita longe desta confusão desta cidade, fui para o sul lá para o Algarve perto da família!
Mas antes disso perguntei à minha médica se podia fazer uma viagem grande e ela não viu inconvenientes pois as coisas têm corrido bem comigo e não tenho tido queixas ou quaisquer dores.











Vamos lá actualizar! Vamos entrar no 3º trimestre de gravidez!

A 28ª semana foi na passada semana:

Assim o bébé abre os olhos quando está acordado e fecha-os quando dorme!
Existem boas hipóteses de sobrevivência: se o bébé viesse agora ao mundo, teria hípóteses de se desenvolver bem na incubadora, graças aos avanços da medicina moderna.O bébé pesa pouco mais de 1 quilo e mede cerca de 37 cm, desde a extremidade da cabeça até aos calcanhares. As camadas adiposas continuam a formar-se, à medida que se vai preparando para a vida fora do útero. Está completamente formado.


E comigo: podem surgir as primeiras contrações. Nada de preocupações o útero começa a fortalecer-se e a preparar-se para o parto. O aumento de peso e a barriga tornam-se cada vez maiores.

Temos de começar a preparar a mala para o parto.

Deves ter uma mala com:

Para mim:

Os teus documentos pessoais e resultados das análises que fizeste durante a gravidez.

-Roupão ou robe
-3 camisas de noite curtas com botões à frente (vai-te custar a virar na cama e vais dar de mamar)
-2 soutiens de amamentação.
-discos protectores para colocares no soutien
-pensos higiénicos grossos
-6 cuecas descartáveis ou de algodão
-chinelos
-toalha de banho e rosto
-lenços de assoar
-saco de roupa suja

Para o bebé:

-4 conjuntos de roupa
-mantinha
-toalha de banho
-fraldas e toalhitas
-leite hidratante