terça-feira, 30 de junho de 2009

Agora a realidade é outra...

No ínicio quando a Ana Luísa chegou explicaram-me que tinha d comer de 3 em 3 horas. Eu de inicio dei de amamentar, mas o que acontecia era que eu estava a entrar num estado de ansiedade grande. Pois a preocupação de saber se ela comer bem, sempre a horas e todos os cuidados necessários, levaram-me a este estado. E por ignorancia nossa(minha e do meu marido) não arranjamos pediatra antes dela nascer. Teve-se que ir primeiro ao centro de saúde, fazer o teste do pezinho, e depois até ter a pediatra iamos pesá-la todas as semanas. Bem estas enfermeiras cada vez que ia lá, parece que diziam "esta é uma estupida" pois tratavam-me como tal. Só lhes diziam ninguém nasce ensinado,certo.Uma vez nas medições tiraram-lhe a roupa e ela tinha as costinha vermelhas, elas disseram logo "isto é uma alergia à roupa", então se ela passava a maior parte do tempo deitada era normal estarem vermelhinhas. Duma outra vez a Ana Luísa apanhou sapinhos, logo entre elas disseram, isto não é normal nesta idade, até parecia que eu andava com o bebé no chão. Bem fiquei de tal maneira que uma pessoa pensa que é inutil. Posso dizer que estava de tal forma que não conseguia dormir, e cheguei a passar quase 3 dias sem pregar olho. Entrei em depressão, a chamada pós parto. Deixei de ir a este centro de saúde e passei a ir ao Hospital dos Lusiadas, fazer a pesagem.
Tive que ficar internada nos HPP para "descansar" e conseguir através de medicação dormir. Agora que sai, veio uma enfermeira aqui à minha casa, ver e falar connosco, e tirar algumas dúvidas que podiam restar. Podemos dizerem que ficamos esclarecidos o mais possivel. E esta enfermeira foi tão atenciosa que pediu-nos que sempre que formos ao hospital para a irmos visitar.
Estou neste momento a ser acompanhada pelo psiquiatra que me deu uma medicação que me deixa mais calma e consigo dormir, mas tive que deixar de amamentar. Agora a Ana Luísa é alimentada a biberão, não rejeita, como todo o leitinho, e está a engordar quase de dia para dia. è uma alegria.
Quando lhe damos banhinho à noite quase aguenta entre 4 a 6 horas a dormir. De dia tem que ser alimentada entre 3 a 3h meia. Às vezes não é preciso acordá-la, pois o seu relogiozinho dá logo horas. Na próxima quinta-feira vamos ao pediatra ver se está tudo bem pois na ultima vez tinha aumentado ums 200 gramas. Neste momento ela pesa 3630 e mede 51cm.
Acrescento que ela nasceu com 2790 gr e media 47.5cm

É verdade o cordão caiu-lhe passado uns 5 dias.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

A Ana Luísa já nasceu! Bem vinda meu tesouro

Finalmente tenho um tempinho para actualizar este sitio.
Como estava a ser seguida pelo médico do HSM e já tinha ultrapassado as 40 semanas de gestação, ele deu-me uma semana de prazo, ou ela nascia "naturalmente" ou tinha que ser provocado. Ora foi o que acabou por ser. Foi no sábado dia 23 de Maio pelas 11h que dei entrada neste hospital.Levaram-me para o piso devido, deram-me uma bata, pois tive que despir toda a minha roupa. Fui para uma sala onde estava sozinha (por enquanto)e com um ctg à volta da minha barriga. Deram-me soro, e introduziram-me um comprimido, os médicos entretanto que as horas iam passando iam perguntando se eu estava bem e se precisasse de alguma coisa chamava. Passaram 6 horas desde que lá estava e nada, dilatação e dores quase nenhumas. Então introduziram-me novo comprimido, e aí sim passado um tempo comecei com umas moinhas no fundo das costas, mas toleráveis. Posso dizer que aguentei as dores que começaram a ser maiores e menos espaçadas, umas 5 horas. Então passado algum tempo as dores já eram intoleráveis, vinham do fundo das cosatas, chamei pelas enfermeiras para me darem a epidural, só me diziam que o anestesisita já vinha. E eu a cada vez mais aflita, tentava lembrar-me da respiração que era para essa altura mas tudo foi quase esquecido tal eram as dores. Chamei tantas vezes pelas enfermeiras que finalmente veio a anestesista, uma rapariguita muito simpatica, que me ia explicando todos os passos, vai sentir, vair sentir aquilo,etc. Ela avisáva-me que quando aparecesse uma contracção para a avisar. Só posso dizer que com a epidural as dores foram-se atenuando. o meu marido apareceu por volta da hora do jantar, e as enfermeiras disseram-lhe que no máximo podia estar até às 22h. Passada quase meia hora voltaram os médicos, fizeram-me o toque e já tinha 4 centimetros de dilatação, era chegada a hora. Levaram-me para uma sala, onde estava rodeada de médicos e enfermeiros, pediam para fazer força como se estivesse na casa de banho. Foram uns minutos nisto, força, força até que as minha forças me iam faltando, mas só pensava na altura em que ia ver o meu bebé. Numa tentativa fiz tanta força que ela saiu. Foi uma sensação única, sentia deslizar e assim que saiu puseram-ma envolta num lençol, na minha barriga estava tão quentinha. Depois levaram-na para fazer aqueles testes iniciais dos bebés. Só ma trouxeram depois de me "cozerem". levei ns quantos pontos. Foi tão engraçada quando ela veio para junto de mim. Estava de olhinhos abertos, pensando então eras tu que eu ouvi estes meses.


Ela ficou sempre junto a mim. Lá me deram qualquer coisa, finalmente, para comer. Estava cheia de fome. Fiquei lá 48 horas, os médicos estavam na dúvida em darem-me alta pois a Ana Luísa tinha um pouco de ictericia, normal nos bebés. Mas deram autorização para vir finalmente para casa. Pois comida de hospital, cama e algumas enfermeiras, eu queria era vir embora. Fiz logo o registo da Ana, pois eles têm um gabinete onde fazem logo os registos dos bebés.