quinta-feira, 23 de setembro de 2010

16 meses

Mais um mesito que passa e mais contente estou com a minha bebé! Na passada semana a Luísa andou 3 dias com febre alta e por sorte nossa coincidiu com a consulta com o pediatra a qual era normal ela ter febre pois tens os dentitos a nascerem. E não é tal o meu espanto que descobri que ela tem os 4 pré-molares a nascerem, coitadita agora concluiu-se o estado febril,logo os 4 dentitos a nascerem. Malandros a darem dores de cabeça ao meu bebé! Just kiding...

Também ultimamente para a pôr a dormir já ñ custa tanto, agora demos-lhe um ursinho que toca ao apertar a barriguita, ela agarra-se a ele e já sabe que vai para a cama, bem como a música calma que ponho a tocar até ela adormecer. Está muito mais atenta a tudo. Tudo o que fazemos ela repete. Músicas, sons, caretas tudo ela repete...Está muito engraçada. Em nossa casa temos fotografias dela espalhadas, então não é que ela olha para ela e começa a apontar como se reconhecendo nas fotos.

Em relação às sesta também estabelizou, agora dorme 2 horas(+/-) depois do almoço!

E como disse a pediatra a partir de agora é só evoluções. Bem haja minha rica filhota!!!

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Novas descobertas sobre o processo de vinculação


Mães gravam uma resposta precoce e duradoura na mente dos filhos

Os laços que unem mães e filhos ao longo de toda a vida podem ter raízes no modo como os cérebros reagem quando vemos a face da nossa progenitora, defendem cientistas canadianos e britânicos.

Os pesquisadores das universidades de Toronto e Winchester realizaram estudos para tentar determinar de que forma acontece o processo de vinculação e através de ressonâncias magnéticas descobriram que ao observar imagens da mãe – misturadas com outras de desconhecidos, celebridades e membros da família próxima – o cérebro «acende» áreas-chave nos domínios do reconhecimento e emoção.
Em contrapartida, a visão da face do pai produz reacções cerebrais fortes na área dos afectos mas está longe de implicar respostas tão fortes como no caso da mãe.

Os resultados sugerem, de acordo com um artigo publicado na revista científica Brain and Cognition, que as mães gravam uma resposta emocional e cognitiva duradoura na mente dos filhos, como resultado das experiências de vinculação ao longo da primeira infância.
Os cientistas acreditam ter avançado no conhecimento do processo de impressão (ou imprinting) nos seres humanos. Este fenómeno é mais conhecidos noutras espécies, como por exemplo os patos, e constitui a criação de laços fortíssimos com a primeira criatura que as crias vêem após o nascimento.

Os bebés humanos não possuem essa capacidade imediata, mas os especialistas canadianos afirmam que a qualidade da ligação precoce estabelecida entre mãe e filho tem implicações cruciais durante toda a infância e também na idade adulta. «A activação cerebral em resposta ao rosto da mãe acontece mesmo entre pessoas que vivem afastadas dela durante largos períodos de tempo, mesmo anos, o que sugere que estamos perante efeitos muitíssimo alargados», afirma Marie Arsalidou.

Fonte:Pais e Filhos

Bebés choram mais se a mãe for ansiosa


A irritabilidade dos bebés pode estar relacionada com a ansiedade das mães. A conclusão é de investigadores espanhóis, que analisaram 317 mães, 20 por cento das quais tinha recebido terapia antes da gravidez e 39 por cento tinha antecedentes familiares de patologia mental.

Outros estudos já tinham demonstrado que o estado emocional da mãe condiciona o comportamento do filho, mas os investigadores descobriram também que os bebés portadores do gene 5-HTTLPR são muito menos irritáveis e choram muito menos, independentemente de a sua mãe ser ou não ansiosa.

«Este trabalho mostra que não importa apenas o estado emocional da mãe, mas também os genes do bebé», afirmou Júlio Sanjuan, do Centro de Investigação Biomédica de Saúde Mental, ao jornal online El Mundo.

O cientista explica aidna que os bebés que nascem com esta variante genética estão protegidos da ansiedade da mãe e têm um temperamento mais calmo.

Fonte:Pais e Filhos

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

De regresso

Bem já faz algum tempo que ñ actualizo o blog. Pois bem relembrando então, fomos de férias para o Algarve e também para estar junto de meu pai. Posso dizer que a Luísa adoro esse tempo. Adorou a praia, a principio estranhou a areia, mas passou logo a estranheza passado 1 ou 2 dias. O mar ela também gostou, e a temperatura da água tambem ajudou pois ñ estava muito fria,aliás esteve sempre um caldo. Lá dentro ela ñ queria sair, sempre agarrada a mim mas sempre a querer estar mais tempo. Parecia quase um peixinho, mexia as perninhas, simplesmente adorou. Iamos sempre à tardinha, mas mesmo assim ainda estava um certo calor, mas suportável.

Bem em termos de desenvolvimento dela posso dizer que fiquei contentissima. Parece que ela extroverteu-se. Já diz perfeitamente "mamã", "papá" é que ainda diz "dada", mas como dá para perceber quando ela olha para o papá! Também quando quer água já aponta para a torneira ou uma garrafa de água que esteja na mesa. Também já bebe o biberão sózinha, bem com o que é para beber água. Começa também a comer sózinha, ponho o pratinho dela á sua frente e ela com as mãozinhas lá vai buscar a comida e leva à boca.
Adorou ver os cães do meu pai, ñ tinha medo nenhum, e até fazia festas neles. Faz a mesma coisa com os nossos gatos. Uma coisa que começou a fazer nestas férias e ñ fazia é levar-nos ao sitio que ela quer que nós vamos, tipo pede a nossa mão e leva para onde ela quer.

Passado uns dias fomos ter com a familia paterna. Também gostou mudou de ares e conviveu com pessoas que vai agora tomando conhecimento. Em ambos os sitios estranhou as pessoas pois ñ são do seu "círculo" habitual de convivio.

Outra coisa que para ela tem um fascinio enorme são agora os teclas, gavetas , portas tudo o que tenha uma luz e lhe desperta a atençaõ!

Já percebe tudo o que dizemos, se vamos sair, onde está o nosso carro, onde estão meninas e bebés, onde estão os gatos, onde vai comer, enfim uma data de coisas.
Estou muito contente om isto tudo.

Entretanto fui com ela às vacinas, coitadinha chorou tanto, levou 2 picas uma em cada braço. A primeira levou mas a segunda levou tempo pois ñ parava de chorar e as enfermeiras demoraram até conseguirem finalmente dar a segunda pica. Até ficou com uma nódoa negra.

Fomos hoje à consulta dos 15 meses ao pediatra, pode-se dizer que a principio chorou bastante pois desconfiou da médica. Mas passou tudo logo que se sentou no carrinho.
Está óptima. Agora com os dentes é que anda com febre acima dos 38, já tomou o ben-u-ron e coincidiu com a consulta pois a médica viu logo se ela tinha otite é que os dentse que lhe estão a nascer são os pré-molares do maxilar superior e causam-lhe muita impressão. Coitadinha. Já está medicada e já sabemos o que fazer. A médica disse-nos que podia durar 1 ou 2 dias. Nada de preocupações.

Peso: 8920 kg
Altura: 77 cm

Foi uma consulta agradável onde tirámos algumas dúvidas.
Agora será a próxima aos 18 meses.